quarta-feira, março 10, 2010

Bichinho de Estimação


Meu filho quer um bichinho, mas está difícil escolher
Crianças com alergia e pouco espaço em casa precisam de um animal que se adapte a isso

A maioria das crianças sonha com um bichinho de estimação. Mas a escolha do melhor animal nem sempre é simples: decidir por um animal envolve o atendimento das expectativas da criança, os riscos para a saúde dos pequenos e até a adaptação do animal em casa. É um impasse que precisa de planejamento para ser resolvido sem trazer surpresas ou chatear a criança , afirma o pediatra Sérgio Eiji Furuta, professor da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (FACIS). Segundo ele, esse desejo infantil precisa ser estimulado, porque o convívio com um bichinho ajuda a desenvolver a responsabilidade, o afeto e até deixa a criança mais feliz.

A veterinária Del Pereira Castra, responsável pela Clinica Lar São Francisco, concorda com o pediatra e ressalta a importância dos tratamentos realizados com animais. Os animais são usados em diversos países, inclusive no Brasil, auxiliares no tratamento de enfermidades neurológicas. Imagine o bem que eles não fazem a crianças saudáveis? Crianças hiperativas ficam mais calmas e as tímidas ganham mais confiança , afirma.

Só que não podemos esquecer que esses bichinhos precisam de cuidados especiais. A alimentação adequada é a primeira exigência, assim como água à vontade. Também é preciso pensar no tipo de ambiente que você pode oferecer e dedicar muita atenção e carinho.

Meu filho é alérgico
Em casos de alergia, não adianta insistir, animais com cachorros e gatos podem agravar a situação da doença, como explica o pediatra e professor da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (FACIS). Infelizmente, não é aconselhável possuir animais que tenham pêlos, como cães, gatos, hamster e macacos. Opte por um passarinho, peixes ou uma tartaruga.

Um Passarinho alegra a casa, o canto acalma o ambiente, podendo até mudar o humor das pessoas. Muita gente acha difícil pegar amor por um bichinho desses, mas basta levar um para casa que a opinião muda completamente . Só não podemos esquecer que esse bichinho também exige alguns cuidados especiais e diários, como sol e ventilação ambiental adequada. Ficando em locais abafados, eles podem adquirir doenças cutâneas e perder o visso das penas. Já se forem largados em locais muito ventilados, podem adquirir doenças respiratórias , afirma a especialista.

Moro em apartamento
A falta de espaço não é impeditiva se você sonha em ter um cachorro. A veterinária afirma que algumas raças adaptam-se perfeitamente as essas condições de vida, só não vale esquecer que, às vezes, o animal precisa passear um pouco para exercitar a musculatura, brincar e respirar ar puro. Os melhores cães para pessoas que moram em apartamentos são aqueles, que não precisam de muito cuidado com a pelagem, que são calmos e latem menos, caso do Bassê, Pug e Lulu da Pomerânia.

Quero um animal dócil
Em todas as raças e em todos os tipos de animais, há os mais calmos. É difícil você escolher um animal e ter certeza sobre o temperamento que ele apresenta, mas diversos fatores implicam no gênio dele, como o modo com que são tratados. Carinho e atenção diminuem as chances de que o bicho torne-se agressivo, afirma a veterinária.

Nada de muito trabalho
Se você precisa de um animal que não tome muito tempo com cuidados, não faça muito barulho, mas que deixe seu pequeno alegre, uma dica é a tartaruga. Só é preciso tomar muito cuidado para que a criança não enjoe fácil do bichinho. A tartaruga terrestre não dá muito trabalho, é só alimentá-la mais em épocas de calor quando estão mais ativas e deixá-la hibernar e alimentar menos nos dias frios. Elas são animais cuja temperatura corpórea e metabolismo acompanha as mudanças do ambiente.

As doenças
Algumas doenças como a toxoplasmose, toxocaríase, raiva e dermatite serpiginosa e leshimaniose podem ser transmitidas por animais domésticos. Mas nada de pânico, essas doenças são facilmente evitadas quando você cuida diretinho do seu animal. Visitas semestrais ao veterinário, mesmo sem nenhum problema visível, uma cartela de vacinas completa e os vermífugos em dia acabam com todas essas possibilidades de doenças e garantem uma saúde impecável para o animal e para criança , afirma a veterinária.

Meu filho morre de medo
Então, não adianta forçar. Existem crianças que, por mais que desejem um bichinho de estimação, não conseguem sentir segurança perto deles. Nesses casos o ideal é ter bastante paciência e tentar diminuir o medo da criança com animais bem dóceis, como aquele cachorrinho engraçado do vizinho. Só quando notar que ele está mais à vontade é hora de partir para o Pet Shop.






Um comentário:

Luciana Onofre disse...

Convite para o Dia sem Carne:

http://sementeperegrina.blogspot.com/2010/03/dia-sin-carne.html


Luciana Onofre