terça-feira, julho 26, 2016

O que não se deve vestir para o trabalho

O que não se deve vestir para o trabalho
Saibam quais são as principais gafes cometidas por mulheres quando o assunto é se vestir para trabalhar e as evite
Por Selena Escher

Em determinados ambientes de trabalho não se tem a obrigação do uso de uniformes. Sendo assim, algumas gafes podem ocorrer ao se vestir. Deve-se então, levar em consideração o cargo ocupado, função exercida, tal como a filosofia da empresa e a forma de se portar dos demais funcionários. Portanto, vestir-se adequadamente é um indicativo de que você reconhece seu papel, assim como de sua organização.

Contudo, atente para o fato de que caso exerça funções de chefia, ou tenha contato direto com clientes, sua imagem deve espelhar o que a empresa de fato deseja representar. Sendo assim, todo e qualquer elemento que traduza exageros ou se destaquem devem ser evitados, como peças curtas, muito justas, decotes exagerados, calças baixas ou cores extremamente vibrantes.

Isto, porque a atenção em um ambiente profissional deve voltar-se aos interesses e assuntos profissionais, e tais características podem voltar a atenção dos interlocutores para uma esfera pouco desejável. Logo, a regra se aplica também aos cabelos, unhas, maquiagem, joias e acessórios. A aparência deve ser sóbria e elegante. Igualmente importantes, os saltos não devem ser extremamente altos.

Com personalidade, tenha em mente que em primeiro lugar está à cultura da empresa, e não a moda vigente. Porém, não escolha produções incômodas, pois você deve estar apta a realizar suas funções durante o expediente com agilidade, conforto e classe, seja ela qual for. Saibam quais são as principais gafes a serem evitadas no ambiente de trabalho:

Incorporar tendências de moda ao trabalho
No ambiente profissional maneje suas produções de forma a se adequar à cultura da empresa. Logo, se trabalham em locais formais como escritório de advocacia opte por roupas como camisas de botões, de mangas compridas, calças com corte reto, sapatos fechados e acessórios discretos. Se você trabalha em uma loja e vende roupas, por exemplo, tente aderir a looks em sintonia a linguagem da mesma.

Optar por produções sensuais e provocantes
Make up extravagante, decotes profundos, roupas muito justas, calças baixas, barriga à mostra, saltos extremamente altos, cores vibrantes e acessórios exagerados devem ser usados fora do ambiente de trabalho. A atenção neste local deve voltar-se aos interesses do mesmo, portanto, tanto a forma de vestir como sua postura deve ser de uma profissional.

Aderir a itens barulhentos
Pulseiras, brincos e penduricalhos têm de se manter distantes do seu trabalho, assim como sapatos que façam barulho, pois podem interferir na concentração de outros funcionários, causando certo desconforto. Entretanto, caso tenha a necessidade de utilizar aparelhos celulares durante o expediente, tal como meios que produzam som, opte pelo modo vibracall, tal como por fones de ouvido.

Usar chinelos e outros elementos informais

Chinelos, rasteiras informais, bermudas estilo esporte, tênis, camisetas, dentre outros elementos casuais devem ser usados fora do ambiente de trabalho, a menos que você seja funcionária de uma empresa descolada que lhe permita o uso de tais peças, traduzindo assim o modo de vida da organização e clientes. Do contrário, opte por vestir tais itens fora de seu expediente.

sábado, julho 23, 2016

O que as empresas esperam de seus funcionários?

O que as empresas esperam de seus funcionários?
Saiba quais são as características que os empregadores mais desejam em um bom funcionário
Por Andressa Dias 

O mercado de trabalho está cada dia mais competitivo, porém, se você tem as características que as empresas buscam e o conhecimento desejável da função que exerce, você já está adiante de muitos concorrentes.

Veja abaixo quatro das características que os empregadores mais valorizam e invista na sua carreira profissional desenvolvendo os pontos que você ainda não domina.

Bom relacionamento interpessoal
Um dos aspectos que as empresas mais analisam na hora de contratar e ao avaliar seus recursos humanos é a capacidade que aquele profissional tem de se relacionar com seus colegas, subordinados e superiores.

Atualmente, os profissionais que tem alto nível de relacionamento interpessoal se destacam entre a multidão. Saber lidar com as pessoas que trabalham ao seu redor se tornou muito importante para quem almeja uma carreira de sucesso.

Em vista disso, muitas empresas oferecem aos seus trabalhadores cursos e palestras na área. Porém, é fato que muito do que acontece na área de relacionamentos das empresas está ligado à satisfação do funcionário em relação ao seu emprego.

De qualquer forma, mesmo que o ambiente não colabore, faça a sua parte e tente interagir com seus colegas de trabalho de maneira respeitosa e cordial e metade do caminho já terá sido percorrido – sendo assim uma motivação para os outros terem o mesmo comportamento.

Pró-atividade e atitude
As empresas buscam também profissionais que saibam “procurar algo para fazer”. Funcionários que ficam apenas esperando as tarefas caírem sobre suas mesas não são desejados pelos empregadores.

Por isso, especialmente ao começar em um novo emprego mostre que você tem pró-atividade. Converse com quem já está na empresa a mais tempo e peça uma ajuda para aprender mais sobre o local de trabalho e o serviço em si. Procure o trabalho e não espere que ele venha até você.

Vontade de evoluir na carreira
Outro ponto muito valorizado pela grande maioria das empresas é a vontade de aprender e melhorar na sua profissão. Se você está constantemente se atualizando e aprendendo coisas novas a respeito da sua carreira, você certamente é um funcionário que qualquer empresa gostaria de ter.

Algumas delas oferecem incentivos para que os funcionários invistam em sua profissão, como o subsídio para cursos de graduação e pós-graduação. Infelizmente, nem sempre pode-se contar apenas com as recursos financeiros da empresa e é preciso investir em cursos com o seu próprio dinheiro.

Mesmo quem está desempregado deve pensar em uma maneira de melhorar o seu currículo com treinamentos, pois esta pode ser uma oportunidade de conquistar a vaga que você tanto quer, mas não consegue por não estar qualificada.

Flexibilidade e adaptabilidade
Ser um funcionário flexível e que sabe se adaptar às mais diversas situações também é um grande diferencial para o profissional que quer se destacar entre tantos.

Entretanto, ser flexível não significa fazer qualquer serviço dentro da empresa. É essencial manter o seu foco e interagir com outras áreas apenas quando extremamente necessário.

Siga as dicas e invista na sua evolução como profissional. Assim, o trabalho é que vai te procurar e conquistar uma boa vaga de emprego se tornará muito fácil.



segunda-feira, julho 18, 2016

Controle a ansiedade e trabalhe melhor

Controle a ansiedade e trabalhe melhor
Desenvolver alguns hábitos para controlar a ansiedade é essencial para trabalhar com mais tranqüilidade
Por Carolina Werneck

A ansiedade é o mal do século. A chamada geração Y e sua sucessora, a geração Z, está em contato com as mais avançadas tecnologias e é fruto de uma sociedade que se acostumou a ver as informações correndo em velocidade extremamente acelerada. Daí a dificuldade que os integrantes dessas gerações sentem em manter o equilíbrio emocional em meio às atividades diárias.

A internet e as exigências profissionais cada vez mais amplas acabaram criando uma leva de seres humanos capazes de lidar com sistemas complexos e diferentes idiomas com habilidade ímpar, mas que se sentem inseguros ao tratar dos próprios sentimentos e reações emocionais. Esses fatores levam à dependência compulsiva e crescente de psicotrópicos, inibidores neurológicos e todo tipo de medicamento capaz de trazer algum alívio a esses estados de alteração emocional.

Mas, se o problema é exatamente o método de trabalho atual, que exige muitas horas de dedicação e esforço pessoal, é possível controlar a ansiedade no ambiente de trabalho?

A resposta é sim. Desenvolvendo alguns hábitos, os efeitos da ansiedade na sua vida profissional podem ser minimizados ou mesmo anulados.

Haja com segurança
A insegurança é uma causa comum da ansiedade. Se você não se sente segura para desempenhar a função de que é encarregada, procure estudar e se preparar melhor para ela. Pergunte, peça ajuda, não tenha vergonha por não saber tudo e, principalmente, entenda que os erros e falhas são importantes para o crescimento profissional. Se você se considera apta para as atividades que desenvolve, esforce-se para lembrar disso quando a ansiedade quiser aparecer.

Saiba lidar com as críticas
No ambiente de trabalho, é normal ouvir críticas. Os principais responsáveis por esse tipo de comentário são os chefes, que acabam levando fama de chatos e intransigentes. Esse estereótipo nem sempre é verdadeiro. Aprenda a ouvir o que seus colegas têm a dizer sobre o seu trabalho, principalmente seu chefe. Avalie o que ouviu com tranquilidade e honestidade; ao final, aplique ao seu trabalho apenas o que considerar válido, mas não fique remoendo o que foi dito.

Diga não
Assumir tarefas em excesso apenas para agradar a outras pessoas, consciente de que não vai conseguir cumpri-las, é uma maneira eficiente de gerar ansiedade desnecessária. Nos momentos de ócio, não custa nada dar uma mãozinha aos seus colegas de trabalho ou tomar a frente de algumas atividades extras.

No entanto, use o bom senso: se você já tem tarefas programadas e acha que pode se sobrecarregar, dizer não é a atitude mais honesta e correta a tomar.

Não exija demais de si mesma

Algumas empresas têm por hábito pressionar seus funcionários, exigindo deles o cumprimento de tarefas numerosas em um curto espaço de tempo. Se esse é o caso do seu trabalho, não seja perfeccionista demais. Desenvolva as atividades que precisa desenvolver da melhor maneira possível, no tempo que lhe é fornecido, mas não queira que elas saiam perfeitas. Aqui, tenha como lema o velho ditado: a pressa é mesmo inimiga da perfeição.

quarta-feira, julho 13, 2016

Os benefícios da melancia

Os benefícios da melancia
Com grande quantidade de água e baixo teor calórico, a melancia é muito saborosa e tem propriedades que são essenciais para manter o nosso corpo saudável
Por Alessandra Busko

A melancia é uma fruta refrescante, saborosa e com propriedades que são essenciais para manter o nosso corpo saudável. Ela é composta por aproximadamente 93% de água e tem baixo teor calórico. Uma fatia equivale aproximadamente a 33 calorias, o que a classifica como leve, porém completa. Conheça mais benefícios da melancia e saiba por que é tão importante consumir a fruta.

Rica em nutrientes bastante importantes para o nosso organismo, na melancia são encontradas as fibras, os carboidratos, vitaminas A, C e B6, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e ferro. A cor avermelhada da polpa tem grande concentração de um poderoso antioxidante chamado licopeno, que neutraliza os radicais livres (substâncias nocivas ao corpo e os grandes responsáveis pelo envelhecimento da pele).

Ela também contribui na melhora da sensibilidade à insulina e ajuda na prevenção de doenças como a hipertensão, câncer de próstata, endométrio, pulmão e mama.

Incluir a melancia na alimentação ainda ajuda a manter o corpo sempre hidratado devido a sua grande quantidade de água e colabora com a diminuição do colesterol, artrite reumatóide e ortoartrite.

Além dos benefícios da melancia, as sementes da fruta também não devem ser desprezadas, pois apresentam propriedades nutricionais que fazem bem para a saúde. Elas são ricas em zinco, mineral que ajuda a aumentar a imunidade do organismo e em ácidos graxos, que contribuem para o bom funcionamento do metabolismo regulando os hormônios.

O gosto adocicado da melancia vem da frutose, açúcar natural fonte de carboidrato que funciona no organismo como um estoque de energia, ajudando no ótimo funcionamento do cérebro, nervos, medula óssea e nos glóbulos vermelhos. Por ser livre de gordura e colesterol, a melancia ajuda a regular a pressão sanguínea prevenindo o organismo de arritmias e sendo essencial na contração muscular. Também é responsável por levar moléculas de água para as células ajudando a baixar a temperatura corporal.

A melancia também pode influenciar na vida sexual. Ela contém a citrulina, aminoácido que ao ser consumido é convertido em arginina, que tem a função de melhorar a circulação, aumentar a
produção de óxido nítrico, eficaz no relaxamento dos vasos sanguíneos, promovendo a melhora na libido e ajudando a prevenir a impotência sexual masculina.

E não acaba por aqui. Por ser rica em água e açúcares naturais, a fruta também colabora para tornar os fluidos do corpo como a saliva, secreção vaginal e sêmen mais adocicados e perfumados.

Ninguém resiste a uma fatia de melancia gelada, principalmente nos dias em que a temperatura está elevada. Mas segundo estudos, as propriedades de licopeno e betacaroteno presentes na fruta quando consumida em temperatura ambiente, ficam ainda melhores. Então, o ideal é deixar a melancia alguns minutos fora da geladeira antes de consumi-la. Para conservar depois de aberta e evitar a perda das vitaminas devido o contato com a luz e o oxigênio, embale bem a melancia e coloque na geladeira.

A melancia pode ser consumida de várias maneiras, seja ao natural, em forma de suco, acrescentada na salada de frutas ou até mesmo como um saboroso mousse para a sobremesa, vai da criatividade e gosto de cada um. Só não esqueça de consumir também a semente, que é rica em vitaminas.


sexta-feira, julho 08, 2016

Como salvar seu casamento

Como salvar seu casamento
Repensar o comportamento e colocar em prática novas formas de agir pode evitar o fracasso de uma relação
Por Débora Busko

Os conflitos no casamento sempre rondam os casais e, quando se tornam muito frequentes e intensos, podem levar ao fracasso da relação. Uma rotina estressante, problemas na cama, excesso de trabalho, falta de diálogo, falta de tempo livre, ciúmes, traição. São muitos os motivos que podem provocar uma crise conjugal e em situações extremas, a separação ou divórcio.

Infelizmente, não existe uma fórmula mágica para um casamento feliz, mas dá para evitar o fim do casamento repensando seu comportamento e tentando colocar em prática novas maneiras de agir. Se você está enfrentando uma situação complicada, conheça algumas dicas de como salvar seu casamento.

Quando falamos sobre relacionamento entre duas pessoas, existem diferenças apesar do sentimento que as une. As pessoas demonstram o que sentem e agem de maneiras distintas, daí a importância de saber respeitar quem está ao seu lado.

O casamento é um contrato onde, entre outras responsabilidades, está a de fazer o outro feliz e vice-versa. E aí, quando por alguma razão um dos dois deixa de cumprir com este dever, surge a frustração. Por isso, é necessário aprender a não esperar tudo do outro.

Para salvar seu casamento também é preciso ter consciência de que será necessário abrir mão de algumas necessidades individuais ao longo da vida. Portanto, o melhor a fazer é sempre negociar. Busque compreender as necessidades do seu cônjuge e tente ver as coisas do ponto de vista dele.

Apontar os erros do companheiro da tentativa de se desculpar pelos seus não é a melhor saída para resolver os conflitos. As responsabilidades dentro do relacionamento são de ambos e se errou, reconheça. Afinal, ninguém é perfeito.

Compartilhar metas, sonhos, pensamentos é uma forma de construir confiança e fortalecer a relação entre o casal. Confiando um no outro, vocês conseguirão enfrentar melhor qualquer obstáculo que possa surgir pela frente.

E, por fim, aprenda a expressar os sentimentos além das palavras. Dizer “eu te amo” é muito bom, mas às vezes, ações podem dizer mais que palavras. Mantenha a chama do romance viva, não tenha medo de demonstrar seus melhores sentimentos pela pessoa amada.

segunda-feira, julho 04, 2016

10 manias masculinas que jamais enderemos

10 manias masculinas que jamais entenderemos
Habilidades e inabilidades masculinas cujas causas e utilidades não fazem o menor sentido
Por Carolina Werneck
www.dicasdemulher.com.br

Embora atualmente os direitos de homens e mulheres estejam quase equiparados em termos de trabalho e mesmo relacionamentos, há coisas sobre o sexo oposto que a alma feminina jamais chegará a compreender em sua totalidade.

1 – A destreza para “continuar dormindo” quando há um bebê chorando bem ao lado
Ou, mais apropriadamente, como eles conseguem fingir que continuam dormindo com o bebê chorando bem ao lado? O motivo da insistência masculina nessa desculpa é um mistério porque, obviamente, nós sabemos que tudo não passa de uma demonstração de dotes de dramaturgia bem desenvolvidos.

2 – A incrível capacidade de não perceber quando algo está errado
Eles convivem conosco há anos, muita vezes décadas e, mesmo assim, ainda não desenvolveram a habilidade necessária para perceber que quando nos perguntam “o que está errado?” e respondemos “nada”, é porque tudo está absurdamente errado.

3 – As soluções milagrosas que (eles creem) o sexo pode oferecer
Seu dia foi horrível, as crianças estão à beira da reprovação no colégio, você bateu o carro, perdeu o emprego, vocês brigaram ou, pior, o cabeleireiro errou no tom da tintura. Tudo, absolutamente tudo pode ser resolvido com uma bela sessão de sexo.

4 – A total inabilidade para colocar a roupa suja no cesto de roupa suja
Apesar dos muitos estudos que, é de se supor, vêm sendo realizados com o objetivo de entender esse problema crônico, ainda não se sabe por que os homens simplesmente não conseguem colocar a roupa suja no local destinado a ela, deixando-a jogada no chão do quarto, no sofá da sala, no banheiro e em outros recônditos inóspitos da casa.

5 – A resistência absurda a contratar profissionais especializados
O cano do banheiro estourou? Chame o encanador e seu marido nunca mais perdoará a óbvia falta de confiança no talento que ele possui com tubulações. O mesmo serve para portas quebradas, barulho suspeito no carro, imagem distorcida na televisão, aspirador de pó com defeito e quaisquer outros problemas que possam ocorrer no âmbito de seu lar, doce lar.

6 – O efeito avassalador que um simples par de seios tem sobre eles
Queridos, são apenas peitos. Todo mundo tem, em maior ou menor grau. É ridículo que vocês ainda fiquem com a mesma cara de idiotas, depois de terem visto tantos na vida.

7 – A confiança incondicional que eles possuem em nossas habilidades divinatórias
Homens acreditam que nós, mulheres, somos portadoras de um cartão de memória onde armazenamos informações as mais diversas. Por isso não hesitam em nos perguntar onde estão as chuteiras, o martelo, a máquina de barbear e outros objetos que obviamente não usamos e, portanto, não teríamos motivo para tirar do lugar.

8 – O grande problema decorrente do fato de pedir uma informação a um desconhecido qualquer
Vocês podem estar em Marte, ele continuará insistindo que não está perdido. Compreensível. Sabe-se lá que tipo de hecatombe poderia ocorrer se ele simplesmente perguntasse a um transeunte onde fica a rua que procura (que, muito provavelmente, está localizada em um bairro diferente, do outro lado da cidade).

9 – A fantástica habilidade para identificar barulhos estranhos no carro
Basta um homem entrar em contato com um automóvel para que o último passe a apresentar toda sorte de barulhos e defeitos misteriosos. Tão misteriosos que apenas espécimes masculinos são capazes de percebê-los.

10 – A velocidade de processamento do conteúdo disponível em cada canal
Habilidade de domínio exclusivo masculino é vetada às mulheres a agilidade necessária para absorver o conteúdo de um canal televisivo na velocidade com que o fazem os homens. Segurando o controle remoto com firmeza, eles desferem contra ele golpes ininterruptos, passeando entre um canal e outro com a mesma destreza com que outrora abateram a caça necessária à sobrevivência da espécie.


Não adianta. Por mais que leiamos centenas de manuais e livros sobre relacionamentos, há mais coisas entre homens e mulheres do que supõe nossa vã filosofia.

sexta-feira, julho 01, 2016

Dança Comigo

DANÇA COMIGO
Por Laís Vanzella

A dança de salão envolve o corpo, a mente e o coração dos casais.

Quem não se emocionou com o personagem de Richard Gere que muda completamente sua vida enquanto aprende a dançar com Jennifer Lopez no filme “Shall we dance” (com título em português “Dança comigo”), de 2004. O clássico “Dirty dancing”, de 1987, no qual Patrick Swayze interpreta um charmoso professor de dança que transforma uma simples viagem de férias da jovem Baby em uma história de amor, além de outros títulos que estamparam as telas do cinema, levaram milhares de pessoas às academias em busca de maneiras de balançar o esqueleto com charme e elegância.

Afinal, qual é a magia presente na dança? A professora e sócia do Centro de Dança Jaime Aroxa, em São Paulo, Karina Sabah, que trabalha na área há mais de 20 anos, explica que ela mexe com o lado físico, o psicológico e o social. “Enquanto elabora passos de tango, bolero, salsa, samba, merengue ou qualquer outro ritmo, a pessoa queima muitas calorias, melhora a postura, o equilíbrio, a coordenação motora, o ritmo e o condicionamento físico”, explica. Karina enfatiza que a dança trabalha vários músculos ao mesmo tempo, e essa é uma das vantagens que ela tem sobre outros exercícios físicos. “E os benefícios não param por aí, o trabalho de dançar junto, em par, traz harmonia, cumplicidade e estimula ainda mais companheirismo entre o casal”, revela.

CORPO E MENTE SAUDÁVEL

No lado psicológico, trabalha a autoestima, melhora o estresse, a timidez e pode evitar a depressão. Segundo a psicóloga Nayara Gallati, é muito mais que um simples exercício físico que por si só já libera endorfina no cérebro e gera sensação de prazer. “A dança faz com que a pessoa amplie sua consciência corporal, o que é fundamental para um bom relacionamento a dois”, diz.

O dançarino aprende pouco a pouco a conhecer seu corpo e seus limites e, quando atinge um estágio mais avançado, se torna mais seguro, pois conhece seus potenciais e, por isso, dança mais livremente. “A reação no organismo da pessoa que dança é muito particular”, esclarece Nayara. Ela explica que, para quem possui mais afinidade com a música, a resposta tende a ser mais rápida, pois a melodia gera uma infinidade de sensações no cérebro ligadas à memória. “Portanto, enquanto o casal dança, os sentimentos e lembranças dos dois afloram a todo o momento, o contato olho no olho embalado pelo ritmo da música é o segredo para esse momento tão especial”, define.

Conhecer pessoas novas e fazer amigos também complementa essa atividade. Karina conta que muitos casais, quando começam a fazer aulas, passam a freqüentar os bailes organizados pelas academias e casas noturnas da cidade, o que permite que o casal dance a noite toda. A maioria das escolas de dança de salão possui cursos em todos os níveis (iniciantes, intermediário e avançado) e, dessa maneira, o aluno pode escolher em qual ritmo entrar, samba, bolero, zouk, rock, tango, salsa, forró ou samba rock.

Então, é só preparar o seu par de sapatos e dar o primeiro passo porque esse desafio vale a pena.

quarta-feira, junho 29, 2016

Os benefícios do açaí

Os benefícios do açaí
Conheça bons motivos para incluir o açaí no seu cardápio de verão
Por Alessandra Busko

Com a chegada do verão, cresce a venda de tigelas de açaí no litoral e também na cidade. A fruta típica da Região Norte do Brasil de coloração escura e um sabor naturalmente amargo é bastante procurada por quem pratica exercícios físicos, mas tem conquistado cada vez mais apreciadores que buscam uma alimentação saudável. Motivos não faltam para incluir o açaí no cardápio de verão, já que ele oferece vários benefícios e além de tudo, é delicioso.

Consumido de forma concentrada ou in natura, o açaí contém os principais nutrientes que o corpo necessita e uma grande quantidade de vitaminas e antioxidantes que atuam diretamente na prevenção de doenças e na eliminação dos radicais livres do organismo, os responsáveis pelo envelhecimento.

E a lista de propriedades do açaí não para por aí. Ele também é rico em proteínas, gordura vegetal, possui fibras que ajudam no funcionamento do intestino, é uma excelente fonte de minerais como o ferro, fósforo, cálcio e potássio, que são importantes no combate à anemia e participam da formação dos ossos e dentes.

O açaí ainda possui índice elevado de vitaminas B1, C e E, que garantem o bom funcionamento do sistema nervoso e ajudam a estimular o apetite. Vale destacar que o açaí é um excelente repositor energético e possui alto teor de antocianinas, antioxidantes que garantem melhor circulação sanguínea e protegem o organismo contra o acúmulo de placas de gordura.

Os benefícios do açaí são melhor aproveitados quando a fruta é consumida pura do que em polpa, utilizada no preparo do açaí na tigela. No entanto, as versões do açaí concentrado, em forma de geléia ou suco também podem ser consumidas sem problemas.

Apesar de bastante nutritiva, a fruta é bem calórica: cada 100g de açaí equivale a 247 calorias. Por isso o açaí é indicado para pessoas que praticam exercícios físicos e possuem uma alimentação mais equilibrada. Se a intenção é consumir a fruta na dieta, faça isso de forma moderada e escolha o açaí sem acompanhamento de frutas e cereais ou opte pela versão em suco.

Aposte no açaí para combater doenças
Câncer
O ácido oleico é uma tipo de gordura essencial encontrada no açaí. Consumir a fruta ajuda a proteger contra o câncer de três maneiras: bloqueando os genes causadores da doença, atrasando o desenvolvimento de tumores no organismo e fazendo as células se autodestruírem.
  
Colesterol
O consumo do açaí é benéfico para deixar o colesterol na medida certa. A fruta ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL) e regular o bom (HDL), prevenindo as plaquetas e coágulos sem colocar a saúde do seu coração em risco.

Alzheimer
O Mal de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro que causa perda de memória, agressividade, dificuldades de fala e locomoção na terceira idade. O açaí é a fruta certa para a proteção contra essa doença, pois possui ingredientes que deixam o cérebro alerta por mais tempo para evitar que os danos do Alzheimer evoluam.

sábado, junho 25, 2016

Dicas de boa convivência para quem divide o lar

Dicas de boa convivência para quem divide o lar
Confira algumas sugestões do que vocês podem adotar na rotina da casa e evitar conflitos.
Por Andressa Dias

Dividir o lar com alguém não é tarefa fácil. Porém, com alguns cuidados é possível tornar essa tarefa mais organizada e fazer com que isso seja mais agradável do que parece ser.

Sugerimos algumas formas de lidar com essa situação para você e quem mora com você tenham uma vida tranquila, evitando possíveis problemas. Confira.

Mantenha as finanças organizadas e em dia
Para evitar problemas como conflitos sobre o pagamento ou não de alguma conta, é essencial manter tudo organizado e bem registrado. E para que isso seja possível, a dica é centralizar os pagamentos todos em uma pessoa.

Vocês podem entrar em consenso sobre quem paga as contas e recolhe o dinheiro, bem como faz planilhas para manter os valores registrados. Outra sugestão é fazer recibos para que não haja o problema de alguém dizer que pagou algo que não pagou, ou ainda, um cobrar algo que o outro já pagou.

Por esses motivos é importante manter tudo muito bem organizado e anotado e nunca “deixar para lá” quando o assunto é dinheiro. E quando se tratar de compras da casa, o que for comum a todos (produtos de limpeza, por exemplo) pode ser dividido igualmente, enquanto os outros itens de consumo pessoal deve ser pago por quem os adquiriu.

Quem cuida das finanças tem um pouco mais de trabalho do que quem apenas entrega o dinheiro para ela, portanto, para tornar o compartilhamento de responsabilidades entre vocês um pouco mais justo, quem cuida das finanças pode ter um desconto na parte dele ou dela das contas da casa.

Divida as responsabilidades entre vocês
Assim como a responsabilidade pelo dinheiro tem que ser de alguém, a responsabilidade de limpar e organizar a casa também precisa ser distribuída. Vocês podem dividir por semana – cada um limpa em uma semana ou ainda dividir por atividade – enquanto um de vocês limpa a sala o outro limpa a cozinha.

Essa divisão de tarefas precisa ser muito bem esclarecida, mas pode ser flexível dependendo do nível do relacionamento entre vocês. Vale lembrar que se não for sua semana de fazer a limpeza você não pode abusar sujando e bagunçando a casa toda, tenha consideração pela pessoa que divide o lar com você.

Uma maneira de manter a divisão organizada é tendo uma lista onde vocês podem anotar o que é responsabilidade de cada um e checar quando estiverem com dúvidas.

Criem regras para manter a ordem na casa
É necessário criar alguns combinados entre vocês para que o convívio não se torne uma bagunça onde cada um faz o que quer, do jeito que quer e a hora que quer. Conversem e determinem algumas regras básicas para manter a casa em ordem. Confira alguns exemplos de regras que vocês podem usar:

•Não preparar janta após às 22h;
•Não trazer estranhos para casa sem consultar quem mora na casa antes;
•Não entrar no quarto dos outros moradores ou pegar objetos emprestados sem pedir;
•Não ligar música alta demais;
•Não convidar amigos para passar um tempo na casa.
Essas são apenas algumas ideias, mas lembre-se que as regras podem ser mais flexíveis e elas dependem muito do tipo de relacionamento que você e seus companheiros de lar tem.

Tenham um meio de comunicação para eventuais reclamações. A comunicação entre vocês é um ponto chave para a boa convivência e deve ser tratada com a devida importância. Quando acontece algo que uma das pessoas que mora na casa não gosta, ela deve ter meios para expressar isso, assim evita-se o conflito desnecessário.

Vocês podem se falar cara a cara sobre o que não gostam, ou, se preferirem podem escrever um para o outro o que foi que aconteceu que não o agradou. Vale ressaltar que isso deve ser feito de forma educada e cordial para evitar ofensas.

Seguindo essas dicas, vocês evitam problemas maiores. Infelizmente, alguma pequena discussão durante o tempo que vocês compartilharem o lar será inevitável, mas quanto mais isso puder ser evitado – melhor. Então use do bom senso e seja cordial, assim vocês terão uma convivência pacífica e agradável. E se não der certo, por que não dividir o lar com outras pessoas? Afinal, ninguém é obrigado a se dar bem com todo mundo.






quarta-feira, junho 22, 2016

Como combinar legging com outras peças

Como combinar legging com outras peças
Versáteis, as leggings conquistaram o gosto feminino e podem ser aderidas para as mais variadas ocasiões.
Por Selena Escher

Calças leggings conquistaram as mulheres brasileiras. Inspiradas nos anos de 1980, são práticas e confortáveis, assim como se combinam à muitas outras peças, principalmente quando adquiridas em cores neutras. Quando pretas ou em nuances do marrom, por exemplo, aplicam-se aos mais diversos looks.

Contudo, às mulheres que não as aderiram, a dica é pensar nas leggings como meias-calças. O ideal é combinar a peça à blusas que cubram o quadril, caso contrário podem vulgarizar a produção. Invista então em t-shirts amplas e compridas, tal como blazers, cardigãs e jaquetas curtas, vestidos, shorts e saias aliadas às leggings como sobreposições.

Entretanto, mulheres acima de seu peso ideal devem optar por leggings escuras, de preferência pretas. A sobreposição dos tops mais largos usados com leggings ajudam a disfarçar os quilinhos extras. As mulheres baixas, porém, devem investir em leggings abaixo do joelho ou até o tornozelo para alongar a silhueta; as altas podem abusar dos modelos na altura da panturrilha.

As leggings quando associadas às sandálias e scarpins alongam a silhueta. Quando optar por botas de cano alongado, escolha modelos que não estejam totalmente ajustados às pernas. As ankle boots e sapatilhas, por sua vez, agregam romantismo ao look, porém, tendem a deixar a mulher menor, por isso, as de estatura baixa devem investir em looks de tons próximos para alongar e equilibrar o visual.

Coloridas, estampadas, sóbrias ou até mesmo nos modelos wet legging e jegging. Dentre as variedades, modelos detalhados em paetês, animal print e listradas destacam-se. Portanto, mulheres de pernas grossas devem evitar modelos opacos ou brilhantes em cores claras, pois engrossam ainda mais pernas e coxas, por isso se sugere peças em tons escuros.

Modelos de estampas pequenas favorecem pernas grossas, tal como modelos de motivos grandes são os mais indicados para mulheres de pernas finas. Porém, para que haja um contraponto entre os elementos do look, evite decotes muito ousados para não vulgarizar a produção. Alie as leggings às amplas batas e cintos para demarcar a cintura.

Tendência em leggings para o inverno,
Como novidade para a estação fria que se aproxima o animal print alia-se às leggings para ser usado com botas e sapatos pesados. Modelos de onça, zebra e no python são as opções mais procuradas. A dica, contudo, é não exagerar nos elementos, evitando sobrecarregar a produção. Opte por tops sóbrios e sapatos escuros para neutralizar o visual.


A transparência mostra-se como forte tendência, utilizada para criar padrões nas leggings, dotando as peças de modernidade e charme, assim como o veludo. As wet leggings – modelos brilhosos -, por sua vez, continuam em alta. Apesar de chamativas, são versáteis e podem ser aderidas para compor estilos diversos de looks. Para o inverno, as mais pedidas são as pretas e metalizadas.

segunda-feira, junho 20, 2016

Os benefícios da canela

Os benefícios da canela
Descubra o que uma das especiarias mais antigas do mundo pode oferecer para a sua saúde
Por Deborah Busko

A canela é uma das especiarias mais antigas do mundo. A casca dessa árvore aromática nativa do Sri Lanka era usada como moeda de troca entre o Oriente e a Europa na época das grandes navegações, nos séculos 15 e 16. Hoje, pode-se dizer que canela ainda vale como ouro por ser útil na cozinha e ainda render saúde.

Muito se fala da utilidade do tempero no preparo de comidas, bebidas e até como afrodisíaco, mas estudos também apontam os possíveis benefícios da canela no combate à pressão alta, diabetes, herpes, acne, reumatismo, perda de memória, infecções urinárias e até alguns tipos de câncer.

Entre as propriedades da canela, destaca-se sua poderosa ação antioxidante que contribui na cura de diversas doenças.

Essa propriedade curativa vem dos componentes ativos nos óleos essenciais extraídos da casca da árvore, que também servem para relaxar músculos tensos, aliviar a dor nas juntas cansadas, a cólica menstrual, além de impedir o crescimento de bactérias e fungos como o Candida albicans, responsável pela candidíase.

A canela é considerada um ótimo anticoagulante. Isso proque um composto encontrado na canela chamado como cinamaldeído age sobre as plaquetas do sangue, que são componentes do sangue que se agrupam em situações de emergência (cortes, lesões) e fazem a região afetada parar de sangrar.

Sob circunstâncias normais, o consumo de menos da metade de uma colher (chá) de canela por dia ajuda a normalizar o nível de açúcar no sangue e auxilia no tratamento da diabetes tipo 2. O hábito de mexer o chá com um pau de canela também ajuda.

Outros usos medicinais da canela são estimular a digestão, aliviar as flatulências. Além disso, a especiaria contém os compostos anti-inflamatórios que podem apresentar resultados significativos no alívio da dor causada pela artrite. Mas para isso, é preciso consumir uma porção de pó da canela combinada com uma colher de sopa de mel pela manhã antes da primeira refeição do dia.

Sabe aquela receitinha quem vem dos tempos da vovó de chá de canela para curar a gripe? Pois ela funciona muito bem. A canela é capaz de neutralizar vários tipos de vírus e infecções. Portanto, quando sentir que uma gripe ou resfriado se aproxima, tome um chá de canela com gengibre fresco, é tiro e queda.

O aroma quente e apimentado da canela desperta o apetite, estimula os sentidos, reduz a sonolência, a irritabilidade e a frequência das dores de cabeça. As velas e os aromatizantes de ambientes com canela são recomendados por melhorar o processamento cérebro, estimular a atenção, a memória e a agilidade.
Agora que você já sabe tudo o que a canela pode oferecer para a sua saúde, é só adicioná-la em sua dieta, seja no chá, no café, misturada aos cereais, vitaminas e frutas, em especial a banana.

sexta-feira, junho 17, 2016

Aversão ao compromisso?

O que é a aversão ao compromisso?
Pesquisadores suecos afirmam que uma alteração genética pode ser a causa do problema, nos homens.
Por Carolina Werneck
www.dicas.com.br

Sabe aquele cara com quem você saiu algumas vezes e que depois, quando a relação começou a apresentar sinais de um compromisso mais sério, pareceu simplesmente ter se desintegrado na atmosfera? Pare de sentir ódio por ele. O coitadinho pode ser portador de uma alteração genética que o impede de assumir compromissos amorosos.

Brincadeiras à parte, um grupo de pesquisadores do Instituto Karolinska, na Suécia, descobriu o que pode ser (em partes) a explicação para o pânico que alguns homens parecem sentir de assumirem uma relação séria. Alterações no gene AVPR1A seriam responsáveis por uma predisposição de seus portadores a manter apenas relacionamentos esporádicos e fugazes, sentindo-se aprisionados quando em uma relação monogâmica.

O estudo, liderado pelo jovem pesquisador Hasse Walum, foi publicado na revista norte-americana Proceedings of the National Academy of Sciences e demonstra que esse gene funciona, entre outras coisas, auxiliando o corpo a regular os níveis de vasopressina no cérebro. Esta substância está associada à agressividade masculina, bem como à capacidade de desenvolver laços emocionais ou afetivos.

O método de realização da pesquisa foi entrevistar um total de 552 pares de gêmeos, com idades entre 37 e 64 anos, que dividissem a casa com uma mulher. Os pesquisadores detectaram mutações no AVPR1A em 220 do total de voluntários.

Este grupo se declarava mais infeliz dentro do relacionamento do que aqueles que não apresentavam alterações no gene. Cerca de 50% dos portadores afirmaram pensar em terminar a relação. Destes, 48% não se consideravam casados.

Lembre-se que todos os entrevistados viviam com uma mulher, o que demonstra o quanto a tendência à poligamia aumenta nos portadores da mutação. Entre aqueles homens que não a possuía, o índice caiu para meros 17%.

Apesar das evidências genéticas apontadas pelo estudo sueco, o maior fator determinante da dificuldade em assumir compromissos ainda é a cultura familiar e o ambiente em que o homem foi criado. Algumas pessoas, por terem presenciado discussões ou situações embaraçosas ocorridas entre os pais durante a infância e adolescência, acabam realmente traumatizadas e, ao se tornarem adultas, passam a afastar compromissos que possam conduzir ao matrimônio.

Os valores passados ao homem ao longo da vida também são determinantes quando ele precisa decidir entrar ou não em um relacionamento sério. Algumas pesquisas, neste sentido, demonstram que fatores externos são capazes de ativar ou desativar a influência dos genes na personalidade humana. O nome deste novo tipo de ciência é “epigenética”, um ramo que promete de decifrar a influência do meio sobre a genética de cada indivíduo.


quarta-feira, junho 15, 2016

Ócio criativo

Use o ócio criativo a seu favor
Descubra quais situações favorecem sua criatividade e use-as para alcançar resultados mais eficazes.
Por Carolina Werneck

Ser criativo, encontrar soluções criativas para os problemas do cotidiano, criar ideias originais. Exigências dos tempos atuais para obter sucesso não apenas no âmbito profissional, mas também nas tarefas diárias e em nossas vidas pessoais. Num mundo em que já se fez quase tudo, quem faz as coisas de maneira diferente é que tem a oportunidade de se destacar dos demais. Estudos publicados pelo site Life Hacker acerca da criatividade trazem informações surpreendentes sobre um tema tão etéreo quanto aquela ideia que piscou em sua mente e fugiu no momento seguinte.

O site afirma que a criatividade foi ignorada pela ciência até a década de 1950, quando a Associação Americana de Psicologia JP Guilford publicou alguns artigos relacionados ao tema. Desde então são inúmeras as pesquisas que tratam do fértil assunto – e a ciência já tem diversas teorias a respeito.

Qualquer um conhece, por exemplo, o que os americanos vêm chamando de “Shower Principle”, ou o “Princípio do Chuveiro”. Trata-se da afirmação de que as melhores ideias nos ocorrem quando estamos no meio do banho e não podemos anotá-las. Há, inclusive, alguns escritores, músicos, pintores e mesmo empresários que afirmam levar papel e caneta para o banheiro e deixar sobre a pia enquanto tomam banho. Assim pode anotar caso lhes ocorra um insight criativo.

A teoria do chuveiro nada mais é do que a constatação de que, quando desligamos nossa mente do problema a ser solucionado, ela tende a relaxar e encontrar soluções mais práticas e eficazes para eles. Em outras palavras, trata-se de distrair o cérebro do foco problemático e obrigá-lo a pensar em assuntos menos densos. A hora do banho é o ícone desse conceito porque geralmente é um momento em que estamos desligados do resto do mundo, deixando que a mente trafegue por pensamentos mais tranquilos, o que pode gerar um raciocínio lógico mais assertivo.

Algumas pessoas saem para caminhar ou tomam um café, enquanto outras preferem atividades mais incomuns para despertar a mente, como pintar algo ou cozinhar.

Como identificar os horários e situações do dia em que a sua criatividade flui melhor? Simples (mas nem tanto): experimentando. Desenvolva atividades que você considere relaxantes, de preferência várias delas, porque a criatividade funciona de modo diferente para cada pessoa. Desconecte sua mente dos problemas e observe em que momentos as ideias pareceram surgir mais facilmente. Invista nesses momentos sempre que precisar sair de alguma crise ou encontrar uma solução original para um “incêndio”.

Descubra qual, exatamente, é seu “ócio criativo” e conte com ele para uma vida mais fácil.



segunda-feira, junho 13, 2016

Amigos bem para saúde

Ter amigos é bom e faz bem para saúde
Pesquisas afirmam que a amizade pode ter efeitos incríveis na vida e na saúde das pessoas
Por Daniela Azevedo

A máxima que diz que quem tem amigos tem tudo, ganhou ainda mais credibilidade. É que uma pesquisa realizada pela Harvard Medical School, nos Estados Unidos – uma das mais bem conceituadas Universidades do mundo – afirma que a amizade pode interferir positivamente na saúde das pessoas aumentando inclusive a expectativa de vida.

Segundo a pesquisa, a amizade funciona como um fator motivacional que contagia as pessoas ajudando-as a conquistar mais bem-estar, felicidade, qualidade de vida e melhorar o humor através da simples influência que uma pessoa pode ter sobre a outra.

De acordo com a tese, pessoas sedentárias têm mais chances de aderirem à uma rotina de exercícios quando passam a conviver com praticantes de ginástica. Da mesma forma, quem acompanha um amigo que deixou o vício do cigarro, tem maiores chances de parar de fumar. Em outras palavras, passar a fazer parte de um grupo de amigos com hábitos saudáveis, fará com que cedo ou tarde você acabe aderindo a este modelo de vida.

Segundo psicólogos, esse processo faz parte da necessidade e do instinto natural do ser humano de se tornar igual para ser aceito pelo grupo, um fato que acontece desde os primórdios quando os primatas se uniam para proteger-se de outros grupos maiores garantindo a sobrevivência.

Com base na pesquisa, não seria leviano dizer que a felicidade é contagiosa, pois segundo ela, conviver com pessoas otimistas e alegres, faz com que as suas chances de sentir-se feliz aumente em até 60%.

Mas como nem tudo são flores, do mesmo jeito que atitudes positivas são contagiantes, as negativas também podem influenciar na vida e no comportamento das pessoas, lembrando aquele velho ditado “diga-me com quem andas e eu te direi quem és”.

É evidente que existem exceções, afinal, existe pessoas mais suscetíveis e influenciáveis que as outras, abertas e vulneráveis a quaisquer tipos de mudanças, sejam para bem ou para o mal.

Enquanto muitos investem em livros de autoajuda, sessões de terapia e até remédios para conseguir ter uma vida mais saudável e alegre, uma alternativa para melhorar o bem-estar pode ser investir na ampliação do ciclo de amizades.

Em outra pesquisa realizada com 1500 pessoas na Austrália como parte de um trabalho chamado Estudo Longitudinal do Envelhecimento, vários idosos foram questionamos sobre sua atividade social, profissão, quanto tempo tinham disponível para se dedicar aos filhos, netos e outros parentes e quantos amigos tinham. Os anos se passaram e entre diversas avaliações feitas com o grupo, os cientistas observaram que as pessoas que tinham um ciclo maior de amigos viveram mais.

Já em outro estudo realizado pelo Rush Alzheimer’s Disease Center, ficou constatado que pacientes diagnosticados com o mal de Alzheimer e que viviam cercados de amigos, tiveram os sintomas da doença amenizados, o que segundo o médico Wayne Matthews, da Universidade do Estado da Carolina do Norte, não se explica, mas funciona como uma espécie de mágica da amizade, que protege o paciente e retarda as manifestações da doença.

Uma das maneiras de tentar entender o que acontece é analisando que amigos de verdade, assim como os parentes próximos sempre prezam pelo bem da pessoa, acima de tudo, por isso incentivam umas às outras a tomarem cuidados com a saúde e ter hábitos de vida e alimentares saudáveis.

Quem tem amigos de verdade sabe a diferença que faz ter alguém para desabafar, se confidenciar ou simplesmente fazer companhia em um momento difícil. Conselhos de amigos, ainda que não seja acertada, parte da premissa básica que é o bem querer de um para o outro e isso já funciona como fator para dar mais segurança, a sensação de que, mesmo que tudo dê errado, você jamais estará sozinho.

No caso das mulheres, a amizade parece ser um fator inclusive da maior longevidade, em relação aos homens. Pela pesquisa realizada em Harvard, mulheres que têm amigas de confiança, tem mais facilidade de superar a perda do marido.

Além dessas pesquisas, existe uma série de outras que provam por A + B que ter amigos e se relacionar com eles é um fator que está diretamente ligado à saúde, ao humor, à cura e melhor resultado no tratamento de doenças, ao sucesso profissional, ao bem estar físico e psicológico, à melhora da disposição, à maneira de encarar a vida superando dificuldades, entre outros. Sendo assim, você tem uma série de bons motivos para cuidar dos seus amigos e fazer cada dia mais e mais amigos para multiplicar as alegrias e dividir as tristezas que por ventura apareçam.

Agora que você acabou de ler essa matéria, que tal usá-la como um excelente pretexto para reunir os amigos e celebrar a vida?

sexta-feira, junho 10, 2016

Trabalho x Redes Socicais

Trabalho x Redes sociais
Autoria por mim desconhecida

Quem tem um emprego fixo ou está à procura de um deve ter um cuidado redobrado com aquilo que posta nas redes sociais. Palavras mal colocadas podem imediatamente se tornar pontos negativos no ambiente de trabalho.

“Todo tipo de exagero pode gerar problemas. Pergunte-se sempre: ‘O que meu chefe pensaria sobre esta foto?’. Se a resposta é: ‘Faria um péssimo juízo de mim’, essa foto não deve ir para a Internet. E por favor, não é hora de ser imaturo, e pensar:

‘Dane-se a opinião dele!’. O ser humano é livre para fazer escolhas. Só precisamos entender que, ao fazer escolhas, precisamos estar preparados para assumir o ônus e o bônus dessas escolhas”, aconselha Márcia Luz, psicóloga e coach executiva formada pelo ICI (Integrated Coaching Institute).

“Há uma linha divisória entre o bom senso e o extrapolar. Há sempre aquelas comunidades ‘odeio acordar cedo’, ‘odeio meu trabalho’, ‘baixo filme no trampo’, ‘voodoo no meu chefe’, além de outros fatores, como currículo e portfólio desatualizados e tweets agrassivos ou que de alguma forma ofendam o ambiente de trabalho”, aponta Marina.

E um aviso importante para os candidatos que vão participar de uma seleção de emprego: muitas empresas, além de analisar o currículo, também fazem uma consulta às redes sociais.

“Grande parte das empresas faz isso. Pode-se saber muito sobre um candidato navegando na Internet. E não adianta se sentir ofendido com a invasão de privacidade, pois se está na mídia, a informação passou a ser pública. O que você faz em sua vida particular mostra que tipo de ser humano e, portanto, que tipo de profissional você é. Não coloque na Internet o que você não quer ver divulgado”. Finaliza Márcia.